Noticias - Crianças são transformadas pelo ministério infantil no Egito | AD Jaraguá do Sul



AD Jaraguá do Sul




Home » Espiritual - Notícias » Crianças são transformadas pelo ministério infantil no Egito
l
l
l

  Crianças são transformadas pelo ministério infantil no Egito

Crianças são transformadas pelo ministério infantil no Egito

Elas ganham convicção da sua identidade em Cristo e, assim, aprendem a lidar melhor com a perseguição

 

Em um país onde perseguição aos cristãos é a ordem do dia, a criação cristã dos filhos deve ser o mais firme possível. O sistema de ensino no Egito é fraco e, além disso, crianças cristãs sempre são discriminadas na sala de aula. O ministério infantil, desenvolvido por colaboradores locais da Portas Abertas, ajuda nossos pequenos irmãos e irmãs a se tornarem fortes e educados para saber quem são em Cristo. Através de aulas de reforço, eles podem recuperar conteúdos perdidos e, pelo menos, aprender a ler e escrever ainda no ensino fundamental. Eles também descobrem o que significa ser cristão de verdade e ter um relacionamento com Jesus.

 

Com frequência, as crianças cristãs são verbalmente atacadas por colegas na escola, que insultam sua fé. Por isso, elas recebem também aulas de apologética, que as ensinam a responder a esses ataques com conhecimento e de forma amigável. Uma de nossas colaboradoras compartilha sobre três crianças que tocaram o coração dela de forma especial durante o desenvolvimento desse ministério.

 

Sara, 10 anos
“Eu nunca esquecerei a primeira vez que Sara me deixou abraçá-la. Ela tinha medo de ser abraçada. Ela não sabia ler nem escrever e era muito insegura. Então, quando a abracei, ela começou a chorar e disse que não merecia ser abraçada, pois era uma derrotada. Eu lhe disse que isso não era verdade e a convidei para um curso educativo. Em cada lição, eu começava com algo que sabia que ela era boa e, conforme ela era incentivada, a segurança começou a aumentar. Também compartilhei sobre Jesus com ela e a classe. Vocês não reconheceriam Sara hoje. Ela passou a sentar na frente da sala e fez vários amigos. Agora ela sabe ler e escrever e vai muito bem na escola. Os pais dela me contaram o quanto estavam orgulhosos de sua menininha”.

 

Boules, 10 anos
“Boules vem de uma família cristã pobre. Ele até mesmo teve que sair da escola para ajudar a trazer renda para a família. Quando conheci os pais dele, os convenci a deixar Boules voltar para a escola. Ajudamos a família financeiramente, para que pudesse sobreviver sem a contribuição de Boules e compramos para ele uma mochila e material escolar. E ele não apenas participou das aulas regulares da escola, mas também dos nossos cursos educativos. Ele começou a fazer amigos e melhorou muito nos estudos. Desde então, ele está frequentando a escola”.

 

Mina, 12 anos
“Tenho que admitir que Mina não foi a criança mais fácil que cruzou meu caminho. Ele era teimoso e agressivo com os amigos. Ele odiava as meninas porque elas o lembravam da irmã, que era mais inteligente que ele e tirava sarro dele por isso. Ele não sabia ler nem escrever. Os pais dele tinham tanta preocupação na cabeça que era difícil darem a atenção que Mina precisava. O convidamos para nosso curso educativo e o acompanhamos bem de perto. Nós cuidávamos dele e, algumas vezes, o disciplinamos. Levou um bom tempo, mas o comportamento dele mudou. Ele começou a amar a irmã e a tratá-la bem, assim como os amigos. Mina se tornou uma criança mais calma e passou a respeitar os amigos ao invés de brigar com eles”.

 

Os três casos mencionados acima têm uma coisa em comum: todas essas crianças tiveram acesso a um simples direito humano – o direito à educação. Na verdade, não somente educação, mas um acompanhamento, atenção e ajuda. “Isso é o que está no meu coração por eles. Eu os ajudo a melhorar o nível educacional, mas também outros aspectos da vida. Também tento envolvê-los em atividades da igreja. Mas o que mais gosto é dar a eles o amor que eles precisam e assim ver a autoconfiança deles restaurada”, conclui a colaboradora local.

 

Pedidos de oração

- Agradeça a Deus pelo ministério de crianças no Egito e pela disposição dos colaboradores em se doar para ver o bem-estar das crianças.

 

- Peça para que cada criança participante tenha um encontro pessoal com Jesus e seja capacitada a viver a vida cristã em meio à perseguição.

 

- Clame para que muitas crianças no Egito sejam alcançadas com o amor restaurador de Jesus

 

Fonte: Portas Abertas




Voltar