Noticias - Maio Laranja: entenda a importância desta luta | AD Jaraguá do Sul



AD Jaraguá do Sul




Home » Espiritual - Notícias » Maio Laranja: entenda a importância desta luta
l
l
l

  Maio Laranja: entenda a importância desta luta

Maio Laranja: entenda a importância desta luta

Já estamos no mês de maio e você já deve ter percebido nas redes sociais que várias pessoas estão falando sobre “Maio Laranja”. Mas o que significa isso? É uma Campanha voltada especificamente para uma das violações do direito da criança e do adolescente: o Abuso Sexual. Esta Campanha foi instituída pela Lei 5.118 de 2017, de autoria do deputado estadual Herculano Borges (Solidariedade). 

 

Infelizmente, o número só aumenta de criança e adolescentes sendo vítimas de abusadores. Às vezes, a vítima sofre e só vai contar para alguém quando já está adulto. Ou seja, muitas crianças sofrem sem ao menos seus pais saberem do que está acontecendo.

 

O pior é que não existe um lugar propício para a criança sofrer o abuso. Dentro da escola, dentro de um banheiro público ou até mesmo dentro de casa ou na casa de um parente, ela pode estar sendo tocada ou assediada. 

 

O inimigo pode até ser alguém de confiança da família. Por isso, todo cuidado é pouco! Mas como desconfiar? Como saber se seu filho(a) está sofrendo calado(a)? 

 

Pensando neste assunto, conversamos com o Dr. Guilherme Schelb, que é Procurador Regional da República, Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Federal no Paraná, casado com Ellen, pai de Maria Clara e Pedro, professor, palestrante sobre temas que envolvem a Infância, Família e Educação e já capacitou mais de 200 mil pessoas no Brasil e no exterior. Ele nos falou sobre a Campanha Maio Laranja, falou também sobre os sinais que a criança apresenta e ainda deu dicas de como pais e professores podem ficar alertas para prevenir o abuso sexual. Confira! 

 

Por que é importante falarmos sobre o Maio Laranja? 

 

É uma data expressiva porque lembra na coletividade a todas as pessoas, a importância do cuidado com as crianças, principalmente na prevenção do abuso sexual. A Campanha leva as pessoas a reflexões e também a ações.

 

Como os pais podem ensinar os seus filhos e filhas? A partir de qual idade?

 

O primeiro ensinamento que os pais podem dar aos filhos menores é sobre a sexualidade. Eles precisam saber lidar, primeiro, com o próprio corpo, compreender sua identidade biológica de sexo, compreender qual a função dos seus órgãos, e também as funções da higiene íntima, a partir do 1º ano de idade. 

 

Claro que as orientações devem ser cuidadosas até mesmo para não estimular a criança precocemente a atitudes sexuais. E esse ensinamento deve ser na família. Quando a família não cumpre essa função, normalmente surgem vários problemas. Existem crianças que sequer estão conscientes de sua higiene íntima. Por exemplo, uma criança deve ser ensinada que depois que elimina as fezes, ela precisa lavar o ânus (bumbum) com água e sabão. E depois lavar as mãos. Porque as fezes são grandes causadoras de doenças. O bumbum não é lugar pra tocar, nem deixar tocar. Vejam a importância do conhecimento para as crianças pequenas de 1 e 2 anos. 

 

Como saber se a criança está falando a verdade e como ajudá-la?

 

Toda informação trazida por criança ou adolescente devem ser ouvidas de uma maneira bem especial. Porque a criança não tem o desenvolvimento para expressar claramente aquilo que deseja falar. A fala dela é limitada e também o seu entendimento. É necessário um treinamento para compreender as limitações das crianças e adolescentes. Isso é muito importante: dar voz às crianças e adolescentes. Em alguns casos, a criança é muito novinha e revela algo que parece não ser muito grave, porém, se a pessoa estiver atenta à criança, irá perceber que aquela fala merece uma investigação. 

 

Quais são os sinais? 

 

Os sinais que as crianças e adolescentes revelam por meio de comportamento e atitudes são muitos claros. Refiro-me aos sinais de comportamento de possíveis abusos sexuais. São verdadeiros gritos silenciosos. São atitudes da criança que, inconscientemente, vão mostrar ao orientador treinado e atento que alguma coisa errada está acontecendo. Ex: Quando o abusador se aproxima da criança, mesmo antes de começar a prática do abuso, a criança muitas vezes percebe aquela aproximação hostil e muda o seu comportamento diante daquela situação nova. Então a criança pode praticar atos de autoflagelação (ato de ferir o próprio corpo), a criança pode começar a falar temas sexuais ou palavrões ou temas de conotação sexual. Ou ainda, ter ideias ou tentativas de suicídio. A prática causa um profundo abalo na autoestima da criança e ela muitas vezes se sente culpada, porque se descobrirem será escândalo para a família. Muitos abusadores fazem a vitima se sentir culpadas diante a isso. É necessário estar muito atento aos comportamentos das crianças. 

 

Como a igreja pode agir contra a prevenção do abuso sexual de crianças e adolescentes? 

 

Sempre lembro da história registrada em Êxodo 14, onde há uma guerra contra os amalequitas. Moisés ordena Josué ir para o campo de batalha, enquanto ele sobe ao monte para orar. Hoje em dia, os “Moisés” de hoje são os pastores, eles vão orar, vão interceder pelos “Josués”. O Josué de hoje é aquele que está de frente ao problema. São os professores, líderes dos ministérios infantis, professores de Escola Dominical, pais e mães que têm seus filhos nas escolas. E o campo de batalha maior é na escola. Ou seja, a igreja precisa enfrentar seus inimigos com as leis. Muitas vezes nós vamos para o campo de batalha com armas espirituais, mas não, devemos fazer como Josué, usar as armas certas para lutar e vencer. Se preparem! Existem cursos para entender essas leis. A igreja precisa deste conhecimento. 

 

Eu elaborei um curso para famílias, professores de escola pública e particular e líderes do ministério infantil. O curso: “Preparados para defender crianças”. São 12 aulas práticas, onde os professores vão aprender como identificar situações de risco, os momentos de perigo e proteger as crianças do mal. O alvo central do curso é a prevenção do abuso. Não queremos que as crianças sofram o abuso. Outro alvo é como investigar situações suspeitas. Também ensinamos o que é pornográfico e o que é obsceno, de acordo com a Lei. E ainda, como lidar com a vítima e como encaminhar o agressor. Para saber mais sobre este curso, acesse o meu Instagram @guilhermeschelb

 

Quais são as dicas que você deixa para os pais observarem nos filhos e os cuidados que eles podem ter? 

 

O mais importante é proteger a criança. Os abusos devem ser denunciados. Não é só punir os criminosos, mas proteger as crianças. A família tem este papel importante, a igreja também porque as crianças recebem aulas durante toda a semana com o Ministério cm Crianças. Para isso, é preciso que haja um treinamento com os líderes e professores do Ministério Infantil. Há muitas leis que são importantes de conhecermos porque, uma vez que conhecemos as leis, vamos levar as acusações adiante ao Juiz. Pois, muitos descobrem o acusador, mas tem medo e não levam adiante. É preciso denunciar! Posso dar algumas orientações simples, mas que podem ajudar aos pais. Veja:

 

CUIDADOS SIMPLES PARA PROTEGER CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE ABUSOS SEXUAIS 
1 – Jamais deixe a criança sob o cuidado de um adolescente
- Ainda que primos ou irmãos. Não estou dizendo que este adolescente seja um criminoso, mas ele pode chamar os amigos dele que os pais não conhecem e se aproveitarem da criança, na ausência dos pais. Se os pais precisarem sair e deixarem a criança com o adolescente, este deve ser orientado a não abrir porta para ninguém e deve ser obediente. O ideal é não deixar por muito tempo. Outro erro é deixar os filhos de diferentes idades dormirem juntos. 

 

2 – Cuidado com os banheiros - Geralmente, o banheiro é lugar do abuso. Este lugar deve ser muito bem preparado, deve ser arejado, ter janelas para o vento soprar, portas acessíveis (Em escolas, por exemplo, tem como fazer banheiros de modo que quem passa lá fora, ouça o que se passa no banheiro. Em caso de ruídos ou sons diferentes, pode ser feito a denúncia). 

 

3 – Cuidado com os terceiros – Podem ser familiares, amigos ou vizinhos. Fique atento e em qualquer desconfiança, converse com a criança. O abuso sexual pode ter contato físico ou não. Tem professores que abusam dos seus alunos usando músicas com letras pornográficas ou filmes que trazem a erotização ou pornografia. Fique atento e se descobrir, denuncie. Disque 100. 

 

FONTES: https://linktr.ee/guilhermeschelb
https://mailchi.mp/715310571903/preparados_para_defender_criancas
http://www.acritica.net/editorias/politica/maio-laranja-informacao-e-dialogo-para-combater-violencia-contra-crian/453054/




Voltar