Noticias - Setembro amarelo – como ajudar a quem precisa? | AD Jaraguá do Sul



AD Jaraguá do Sul




Home » Espiritual - Notícias » Setembro amarelo – como ajudar a quem precisa?
l
l
l

  Setembro amarelo – como ajudar a quem precisa?

Setembro amarelo – como ajudar a quem precisa?

Estamos no mês que se inicia a primavera. A estação das flores e da alegria. O nome primavera também é indicado quando alguém completa mais um aniversário. Já viu que o que este nome significa mesmo é vida? 

 

E é este mês que chamamos de “setembro amarelo”. Acredito que você já está ouvindo falar sobre isso. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas morrem todos os anos tirando suas próprias vidas. Este é um tema complexo, delicado e cheio de tabus, mas que não pode ser ignorado por nenhuma de nós. 

 

Infelizmente, é triste ouvir que um cristão ou um líder de nossas igrejas sofreu de depressão e tentou “terminar” o seu sofrimento desejando ou cometendo o suicídio. Quanta tristeza! Sabemos que o mundo jaz no maligno e o inimigo tenta a todo instante nos destruir, mas se estamos aqui como igrejas precisamos ser Sal da Terra e Luz do Mundo. Sal para trazer sabor e Luz para iluminar o caminho a seguir.

 

Diante desses fatos não podemos fechar os olhos, nem tampar os nossos ouvidos para esse mal. É hora da igreja reagir! É hora de tocar em assuntos de doenças da alma, como por exemplo, a depressão, para ajudarmos aquele a quem está necessitado(a). Precisamos cuidar da nossa saúde mental e espiritual. 

 

Pensando neste assunto, convidamos a psicóloga clínica Ester Ribeiro de Almeida, pós graduanda em Neuropsicologia, obreira e membro da Assembleia de Deus em Bonsucesso (sede), para falar conosco sobre esse assunto. Confira!

 

Por que é importante falarmos sobre o Setembro Amarelo? 

 

Todos nós estamos vulneráveis a passar por problemas psíquicos ou emocionais. A campanha do CVV - Centro de Valorização da Vida é exatamente para nos alertar que é possível prevenir. Ela busca trazer essa conscientização do diálogo sobre suicídio e valorização da vida. Nós como cristãs precisamos sair do lugar de comodismo e buscar informações para ter uma vida plena, saúde emocional, espiritual e física. Precisamos nos comunicar mais e a sigla CVV também quer dizer: Como vai você?

 

Quais são os sinais para nos auto-examinarmos ou percebermos que alguém do nosso lado está passando por depressão? 

 

Primeiro precisamos buscar ajuda de um profissional - médico, psicólogo, psiquiatra. A depressão é uma doença incapacitante que atinge por volta de 350 milhões de pessoas no mundo. Os quadros variam de intensidade e duração e podem ser classificados em três diferentes graus: leve, moderado e grave. Mulheres parecem ser mais vulneráveis aos estados depressivos em virtude da oscilação hormonal a que estão expostas principalmente no período fértil. Existem fatores de riscos:
*  Acontecimentos traumáticos;
* Estresse físicos
* Doenças sistêmicas (hipotireoidismo), consumo de drogas, tipos de medicações;
* Fatores genéticos envolvidos nos casos de depressão, podem ser provocados por disfunção bioquímica do cérebro.

 

Quais são os fatores de risco para uma pessoa desejar o suicídio?

 

Freud disse que “as emoções não expressas nunca morrem. Elas são enterradas vivas e saem das piores formas possíveis”. Por isso, precisamos investir nesse cuidado, olhar pra dentro é um investimento pessoal. O afeto é superimportante, uma forma de demonstrar também amor ao próximo.

 

Os fatores de riscos suicídio são: automutilação, isolamento, mudanças de apetite, choro frequente, transtorno do sono, desesperança, desamparo, impulsividade, dentre outros.

 

Qual é a diferença de tristeza e depressão?

 

De acordo com a OMS - Organização Mundial de Saúde, a depressão é o resultado de uma combinação complexa de fatores sociais, psicológicos e biológicos. É importante distinguir a depressão patológica e tristeza. Tristeza tem motivo aparente, a pessoa sabe por que está triste. Ex. A perda de um ente querido.

 

Já a depressão é uma tristeza profunda e muitas vezes sem conteúdo, sem motivo aparente. Mesmo se algo maravilhoso acontecer ou estiver acontecendo a pessoa continuará triste. A pessoa deprimida pode ter forte sentimento de desesperança e pensamentos suicidas. 

 

A depressão é uma doença da alma. Como desmistificar isso para muitas pessoas? 

 

Então, em 3 João 1.2 diz assim: “Amado, desejo que te vá em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como vai bem a tua alma”. A alma é a sede das emoções. Todas nós em algum momento de nossas vidas podemos passar por uma fase depressiva. O que não é saudável é ficar preso nela. Todos estamos vulneráveis. 

 

João diz a Gaio que, desejava que ele fosse ou estivesse bem em todas as áreas como sua alma estava. O que nos faz entender que a nossa saúde emocional afeta o nosso espírito. Davi disse: Salmos 42.11 “Por que estás abatida, ó minha alma...”

 

Como nós mulheres que somos super ocupadas devemos fazer para se preocupar com a nossa saúde emocional?

 

Por exemplo, as líderes, missionárias...Quem cuida precisa de cuidados. As pausas fazem parte da vida (“E no sétimo dia descansou Gn 2.2) Nós mulheres, sempre temos múltiplas funções e, por isso, precisamos de pausas. Mulheres invistam em sua saúde emocional, tenham equilíbrio em todas as áreas de sua vida. O custo do cuidado sempre será menor que o custo do reparo. Peça ajuda! Se cuide! Se ame, para depois amar.

 

SAIBA MAIS:

De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria, o Setembro Amarelo é a campanha de prevenção ao suicídio da Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP, criada no ano de 2014 junto ao Conselho Federal de Medicina - CFM.

 

Por meio dela, buscamos conscientizar a população sobre os fatores de risco para o comportamento suicida e orientar para o tratamento adequado dos transtornos mentais, que representam 96,8% dos casos de morte por suicídio. Divulgue a campanha para os seus amigos e familiares, nos ajude a salvar vidas. Participe da campanha durante todo o ano. 

 

Por Luciene Saviolli

Fontes: https://www.abp.org.br/setembro-amarelo 
http://www.unimed.coop.br/portalunimed/cartilhas/setembro-amarelo/://www.unimed.coop.br/portalunimed/cartilhas/setembro-amarelo/




Voltar